Sinais e sintomas do autismo: não espere, procure ajuda!

Sinais e sintomas do autismo: não espere, procure ajuda!

Cada criança é única e se desenvolve no seu tempo. Porém, determinadas habilidades são adquiridas em épocas bem específicas da vida do bebê.

Acompanhe o desenvolvimento do seu filho de perto, com carinho e estímulos adequados à idade e à fase em que ele se encontra. Se notar algum atraso, procure ajuda sem demora!

Primeiro ano de vida: sinais precoces de autismo

Os primeiros sinais de alerta podem ser observados muito cedo, algumas vezes em torno dos 6 meses de idade. Nessa fase, é considerada de risco uma criança que:

  • não responde aos sons em sua volta;
  • não observa objetos em movimento;
  • não tenta pegar coisas ao seu alcance;
  • não demonstra afeição nem sorri para as pessoas;
  • não ri nem emite sons demonstrando estar feliz.

Com o passar do tempo, os sinais ficam mais evidentes. Aos 12 meses:

  • o bebê não se senta, nem tenta se levantar com apoio ou engatinhar;
  • não se interessa por brincadeiras;
  • parece não reconhecer os familiares;
  • não aponta para objetos nem os procura quando você esconde;
  • não fala palavras simples.

18 meses: sinais evidentes de autismo

Aos 18 meses, os sinais de atraso no desenvolvimento já são bem evidentes. A criança:

  • não anda;
  • não conhece objetos simples ou sabe para que servem;
  • tem um vocabulário pequeno, com menos de seis palavras;
  • não imita as outras pessoas.

2 a 3 anos: o início do tratamento é essencial!

Aos 2 ou 3 anos, geralmente a hipótese de TEA é levantada e as avaliações com os especialistas iniciadas. Essa é a época ideal para se iniciar as intervenções, quando o cérebro ainda está em formação.

Nessa idade, a criança:

  • não anda com firmeza, tem dificuldade para subir escadas e cai muito;
  • fala de forma embolada;
  • não faz contato visual;
  • não consegue seguir instruções simples;
  • não se interessa em brincar com outras crianças.

4 a 5 anos: quadros bastante variados dentro do espectro do autismo

Na faixa dos 4 aos 5 anos, as características individuais da criança são mais nítidas, bem como a avaliação das suas habilidades e do seu potencial. Isso é muito importante para o planejamento das intervenções mais adequadas para cada caso.

Geralmente, a criança autista nessa idade:

  • ignora as outras crianças e não interage com pessoas fora da família;
  • resiste a se vestir, ir ao banheiro e dormir;
  • tem dificuldade com os cuidados básicos (escovar os dentes, lavar as mãos);
  • não entende os conceitos de “igual” e “diferente”;
  • refere a si mesmo como “ele(a)” ou “você”;
  • mistura a realidade com a fantasia;
  • demonstra poucas emoções;
  • tem comportamentos extremos e em locais inapropriados;
  • varia pouco as brincadeiras e prefere brincar sozinha;
  • tem brincadeiras estranhas, dando funções diferentes aos brinquedos que possui;
  • tem dificuldade de concentração, distraindo-se facilmente;
  • não olha nos olhos dos outros, mesmo quando alguém fala com ela;
  • não gosta de carinho ou afeto e, por isso, não se deixa abraçar ou beijar;
  • não responde aos outros ou faz isso de forma superficial;
  • quando fala, a comunicação é monótona e em tom pedante;
  • repete a pergunta que lhe foi feita várias vezes seguidas, sem se importar em estar chateando os outros;
  • mantém sempre a mesma expressão no rosto e não entende gestos e expressões faciais dos outros;
  • parece não sentir dor e até mesmo gostar de se machucar, ou de machucar os outros de propósito;
  • leva o braço de outra pessoa para pegar o objeto que ela deseja;
  • fica parada olhando sempre na mesma direção;
  • tem dificuldade para se adaptar a uma nova rotina, ficando agitada e podendo se agredir ou agredir os outros;
  • fica passando a mão em objetos ou tem fixação por água;
  • fica se balançando para frente e para trás por vários minutos ou horas, ou torce as mãos e dedos constantemente;
  • fica extremamente agitada quando está em público, ou em ambientes barulhentos.

Crianças mais velhas e adolescentes

Apesar do diagnóstico de TEA ser mais comum até os cinco anos, é possível que os sinais passem despercebidos até mais tarde.

Em crianças mais velhas, adolescentes e adultos, o autismo geralmente se apresenta com algumas das seguintes características:

  • ansiedade em situações sociais;
  • falta de empatia;
  • dificuldade em entender linguagem não verbal (gestos, postura, expressões faciais);
  • dificuldade em relacionamentos;
  • dificuldade em perceber duplo sentido nas conversas;
  • interpretação excessivamente literal;
  • interesses restritos ou comportamentos repetitivos;
  • dificuldade em manter contato visual;
  • obsessão com a rotina diária;
  • dificuldade em fazer planos futuros.

E por fim: a importância do tratamento precoce

Os maiores benefícios do tratamento são alcançados quando ele é iniciado precocemente, antes dos três anos de idade. Por isso, ficar atento aos sinais de alerta e fazer o diagnóstico rapidamente é extremamente importante.

Porém, a intervenção em todas as idades pode melhorar a qualidade de vida do indivíduo com TEA, melhorando as suas habilidades e minimizando os comportamentos que dificultam as relações sociais e de trabalho.

 

Leave a comment