Sinais de autismo: como identificar o TEA em bebês de até 2 anos?

Sinais de autismo: como identificar o TEA em bebês de até 2 anos?

Muitas crianças com TEA apresentam os sinais dessa condição ainda bebês – especialmente no que diz respeito aos atrasos em suas habilidades sociais e de linguagem. O desafio é que eles podem não parecer tão óbvios quando comparados a diferenças como sentar, engatinhar e andar na hora certa, por exemplo.

Pensando nisso, trouxemos alguns sinais de autismo que podem ser percebidos precocemente, dos 0 aos 2 anos. Para saber quais são eles e, claro, entender o que fazer a respeito, continue conosco.

São sinais de autismo em bebês:

1. Sociais
  • Evitar contato visual (ou fazê-lo muito pouco);
  • não responder aos sorrisos e expressões faciais dos pais;
  • não direcionar o olhar para objetos ou eventos para os quais alguém está olhando ou apontando;
  • não apontar para objetos ou acontecimentos para fazer alguém olhar para eles;
  • não mostrar/trazer objetos de interesse pessoal para mostrar aos pais;
  • fazer poucas não expressões faciais.
2. Linguagem e comunicação
  • Não apontar para objetos e pessoas para mostrar a necessidade destas, ou compartilhar algo com elas;
  • não diz palavras soltas aos 16 meses de idade;
  • não responder aos chamados pelo nome, mas responder a outros sons (como buzinas, latidos, campainhas etc);

  • parecer não querer se comunicar;
  • não usar brinquedos ou outros objetos para representar pessoas ou situações da vida;
  • perder a linguagem ou outros marcos sociais, geralmente entre as idades de 15 e 24 meses.
3. Comportamento
  • Balançar o corpo, agitar as mãos, andar na ponta dos pés por muito tempo (estereotipia);
  • ter um hiperfoco por algumas atividades ou brincadeiras incomuns, repetindo-as vigorosamente durante o dia;
  • não se interessar muito por brinquedos e brincadeiras;
  • brincar com partes de brinquedos ao invés de um brinquedo inteiro (por exemplo, girar as rodas de um caminhão);
  • parecer não sentir dor;
  • ser muito sensível, ou nada sensível a cheiros, sons, luzes, texturas e toque
  • uso incomum do olhar (encarar objetos de ângulos incomuns).

Vale ressaltar que os sintomas variam de criança para criança. Isso acontece porque cada pessoa é única, mesmo tendo a mesma condição (TEA), cada um tem um grau de intensidade, de dificuldade e em diferentes áreas do desenvolvimento.

“Se meu(minha) filho(a) apresentar sinais de autismo, o que devo fazer?”

Se o(a) pequeno(a) apresentar alguns dos sinais/sintomas descritos acima, o melhor a se fazer é marcar uma consulta com o pediatra imediatamente. Durante a avaliação, vocês poderão discutir as questões de desenvolvimento do bebê e buscarem intervenções mais específicas como a do neuropediatra e das terapias que irão desenvolver suas habilidades.

No mais, para saber mais detalhes sobre o TEA, leia os artigos abaixo:

5 testes simples para avaliar o desenvolvimento do seu filho

Autismo: como é feito o diagnóstico?

Autismo: o que fazer após o diagnóstico?

O que buscamos ao tratar uma criança com TEA?

Até a próxima!